O que é necessário para um Empreendedor de Sucesso.

Capital
Uma idéia
Atitudes
Relacionamento


NEWSLETTER



 
  • bernardoleite
  • ba
  • fenix
  • ba
  • ABTD - Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento
  • ba
  • RHEstratégia
  • ba
  • Mais RH
  • ba
  • Idepro
  • ba
  • CENAR
  • ba
  • Interamplitude
  • ba
  • consultores
  • ba

Há diferenças entre o empreendedor e o intraempreendedor?
Bernardo Leite Moreira

Bem, a resposta é sim e não. Oba! Que resposta é essa? Primeiro queremos esclarecer que este tema (empreendedorismo) é extremamente abrangente e, em um artigo podemos abranger apenas uma visão específica.
Bem, a resposta é sim e não. Oba! Que resposta é essa? Primeiro queremos esclarecer que este tema (empreendedorismo) é extremamente abrangente e, em um artigo podemos abranger apenas uma visão específica. Deveremos voltar em outros artigos com outros enfoques, até porque faz parte da minha tese de mestrado.
Mas quanto à resposta à pergunta acima ela é realmente sim e não.
Não, para começar, por um detalhe bem simples: o empreendedor arrisca o seu empreendimento e o seu capital, o intraempreendedor arrisca sua carreira e emprego. São diferenças importantes. Lógico, existem outros pontos de diferenças que detalharemos em outra oportunidade.
Mas é sobre as semelhanças que procuramos dar foco, principalmente pela oportunidade de aproveitar estes pontos para construir um processo de treinamento dentro das organizações, baseado nos princípios do intraempreendedorismo em um eficaz programa de Desenvolvimento de Executivos.
Vamos passar, rapidamente, por algumas características do empreendedor para tentar comparar com as ações do intraempreendedor:
- O Empreendedor é um sonhador, mas absolutamente não é um aventureiro!
Este aspecto do perfil é altamente significativo. O empreendedor, muitas vezes, não está nem mesmo preocupado prioritariamente com o retorno financeiro do negócio, mas sim com a possibilidade de colocar em prática uma idéia que ele tem convicção que será bem sucedida. Porém, não sem parcerias, planejamento, clareza de objetivos. Um empreendedor não é um aventureiro. Ele não se dedica a um negócio porque está entusiasmado. É um processo consciente, objetivo e planejado.
Mais consciente ainda deve ser a atuação intraempreendedora nas suas ações, sobre projetos, em uma Unidade de Negócios ou em uma expansão, por exemplo.
A realização, suportada por uma definição estratégica, deve ser o foco principal do profissional de dentro da empresa. Deve superar limites de recursos, financeiros e de prazos da maneira que puder. Para tanto a característica seguinte é primordial.
- No perfil uma das características mais importante é a de mobilização de pessoas.
É uma característica de liderança, mas apenas uma. O empreendedor não tem que ter, necessariamente, características de liderança diferenciadas. Algumas vezes nem mesmo bom líder precisa ser, mas precisa contaminar as pessoas em seus sonhos (objetivos), não apenas porque exista grande possibilidade de retorno financeiro, mas porque é algo que merece ser feito.
Esta característica é determinante para os resultados e para o perfil empreendedor. Diria que é a própria essência do perfil.
O intraempreendedor precisa ter este nível de envolvimento com a idéia para poder influenciar as pessoas que terá junto de si. Não é, apenas, uma questão de liderança de equipe, é muito mais, é assumir a função do “guia” que vai conduzir-nos por novos e desconhecidos caminhos.
- Persistência e confiança na sua idéia/projeto. Superar desconfianças e ultrapassar eventuais fracassos.
Eis outra característica que pode ser alçada ao rol das características essenciais dos empreendedores. Por isso mesmo é determinante para os maiores resultados.
O empreendedor vai falhar, vez ou outra, mas não pode deixar de tentar ou mesmo de seguir por caminhos completamente novos. É necessário coragem, e, muitas vezes, é o preço do sucesso.
O intraempreendedor também terá que ter características semelhantes. Deve estar pronto para ouvir e aceitar, propostas da sua equipe, que não sejam muito condizentes com a cultura organizacional. É por isso que está assumindo uma função de intraempreendedorismo. Para mudar.
Se as organizações puderem desenvolver esta atividade, temos convicção de que poderão alcançar resultados especiais e, por conseqüência, gerar um processo de retenção e desenvolvimento de seus talentos.
É, portanto, uma ação que vale a pena aprofundar.


Se desejar enviar esta página para um amigo, clique no botão abaixo:


Comentários sobre este Artigo:


Faturamento

Todos os direitos reservados. Copyright 2008

Website criado por interAmplitude